A semana

Afastada professora que defende cintadas

A prefeitura da cidade paulista de Sumaré afastou de suas funções uma professora de português da Escola Municipal José de Anchieta. Motivo: por meio de um bilhete, ela teria sugerido aos pais de um aluno de 12 anos, portador de déficit de atenção e hiperatividade, castigos corporais, hoje punidos por lei: “(…) Se a conversa não resolver, acho que umas cintadas vai (sic) resolver. Esqueça tudo que esses psicólogos fajutos dizem e parta para as varadas.”