A semana

Padre não deu hóstia a garoto autista

Padre não deu hóstia  a garoto autista

Na cidade gaúcha de Bom Princípio, uma missa na qual um grupo de crianças fez a primeira comunhão tornou-se centro de uma polêmica envolvendo a Igreja e a medicina. Momentos antes da cerimônia, o padre Pedro Ritter avisou a família de um garoto autista que ele não receberia a hóstia porque dias antes, em um ensaio da missa, se recusara a abrir a boca. Segundo o sacerdote, o menino não tinha o menor entendimento do que ali se passava. Para diversos psiquiatras, no entanto, o autista tem condições de compreender os fatos, tanto que sofre porque se percebe diferente dos demais. O bispo da Diocese de Montenegro, dom Paulo de Conto, tenta evitar que o padre seja acusado de ato preconceituoso. “O garoto receberá a comunhão mediante preparo especial”, diz ele.