Comportamento

Investigação paranormal

O governo do Chile recorre a uma médium para tentar encontrar vítimas de acidente aéreo. E não está sozinho: até o FBI lança mão do trabalho de videntes

Investigação paranormal

chamada.jpg
BUSCA
A Marinha chilena usa o que há de mais moderno para encontrar os corpos no mar

Cinco botes com sonar, dois robôs submarinos, navios sondas e helicópteros. O governo do Chile usa o que há de mais moderno na tentativa de encontrar os corpos de 14 das 21 vítimas de um acidente aéreo que ocorreu no dia 2 de setembro e comoveu o país. Entretanto, o que mais chamou a atenção do mundo na operação de resgate não foram os recursos tecnológicos empregados na missão, mas a presença de uma paranormal no comando das buscas. A vidente que se tornou a esperança dos chilenos se chama Carmen Diaz e, desde o começo da operação, permanece numa fragata da Marinha ao lado dos militares, participando, inclusive, das reuniões de comando. Para quem imaginava que paranormais só colaboravam na elucidação de crimes nas séries de tevê, como “Medium” e “The Mentalist”, a aparição da vidente impressionou. Essa ação de paranormais em investigações é, no entanto, mais frequente do que se imagina.

Nos Estados Unidos, o FBI não abre mão dos poderes da psicóloga e doutora em parapsicologia pela Universidade de Berkeley Sally Headding quando se vê às voltas com casos que desafiam a lógica e a razão. Ela própria, no entanto, faz um alerta: “Em casos de grande repercussão, surgem falsos médiuns que se apresentam à polícia.” O radiestesista brasileiro Dirceu Galhardi diz que as autoridades de países europeus também costumam recorrer aos sensitivos. “No Brasil é que não temos essa cultura. Mais por vergonha do que por ceticismo”, explica Galhardi, que garante ter descoberto o paradeiro de várias pessoas por meio de um pêndulo.

img.jpg
CURINGA
A vidente Carmen Diaz já achou soldados nos Andes e mineiros no deserto do Atacama

Esta não é a primeira vez que a vidente chilena colabora com as autoridades de seu país. Em 2005, ela orientou o resgate dos corpos de 44 soldados que se perderam na Cordilheira dos Andes. Em 2010, também ajudou a identificar o ponto exato onde estavam os 33 mineiros soterrados no desabamento de uma mina no deserto do Atacama. O ministro da Defesa chileno, Andrés Allamand, confirmou a presença de Carmen no comando da operação. “Esta pessoa prestou informações consistentes que nós, mais tarde, viemos a confirmar”, revelou. A paranormal disse que teve uma visão do acidente e garantiu que há três corpos na aeronave. Também desenhou um esboço do mapa da área onde o avião supostamente caiu.

img1.jpg