Comportamento

Luxo autêntico no Paraguai

Lojas que oferecem produtos originais a preços até três vezes mais baixos que no Brasil mudam o perfil de Ciudad del Este, conhecida como o paraíso dos sacoleiros

Luxo autêntico no Paraguai

chamada.jpg
COM GRIFE
Carine Dresch, de Cascavel, foi ao Paraguai para
comprar seu vestido de casamento de R$ 15 mil

Produtos de origem duvidosa, trânsito caótico, violência e sujeira. Há pelo menos vinte anos, Ciudad del Este, município paraguaio localizado na tríplice fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, carrega a fama de ser um destino escolhido apenas por quem quer comprar mercadorias tão baratas que parecem mentira – e muitas vezes são. O local, que faz divisa com a cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, se tornou o paraíso dos sacoleiros tupiniquins por oferecer roupas, eletrônicos e toda sorte de bugigangas a preços bem abaixo dos praticados no País. Todos os dias cerca de 50 mil brasileiros cruzam a Ponte da Amizade para abarrotar as ruas manchadas com terra vermelha da cidade paraguaia, disputando espaço com vendedores ambulantes, carros e motocicletas. Longe da bagunça do comércio informal, porém, um oásis de luxo reluz em Ciudad del Este. No segundo piso do shopping King Fong, funciona desde 2009 a loja S.A.X. – sigla para “style, arts and extras” e uma clara alusão à mundialmente famosa rede americana Saks – reduto de marcas luxuosas como Versace, Dior, Giorgio Armani, Prada e muitas outras. Do outro lado da rua, funciona o shopping Del Este, primeiro centro de compras da cidade no modelo americano, também recheado de grifes estreladas.

Quem vê a fachada da loja S.A.X. perdida entre outdoors desbotados não imagina a suntuosidade do lugar. Em corredores limpos, bem arrumados e perfumados, mais de 100 marcas de luxo internacionais se dividem entre áreas destinadas à moda feminina, masculina, joalheria, perfumaria, decoração e bebidas e alimentos finos. Os cinco mil metros quadrados do empreendimento também contemplam bistrô, café, showroom de óculos com mais de 12 mil modelos e a única Ferrari Store da América Latina, onde são vendidos itens de vestuário e acessórios com a logomarca da escuderia italiana. O responsável por essa verdadeira casa do luxo é o libanês Armando Nasser, que chegou ao Paraguai aos 14 anos. Ainda jovem, o empresário montou uma pequena loja, onde vendia bebidas e cigarros importados. Aos poucos, juntou patrimônio suficiente para criar o Grupo Fenícia, que importa artigos finos para Paraguai e Brasil. A vontade de montar uma butique de luxo no Paraguai digna das melhores lojas de departamentos do mundo surgiu durante uma temporada em Nova York, quando ele conheceu a Saks Fifth Avenue – prova de que a semelhança entre Saks e S.A.X. não é mera coincidência. “Queria oferecer ao brasileiro e ao paraguaio a chance de poder comprar produtos de qualidade, em um ambiente sofisticado e sem preços exorbitantes como os de São Paulo”, diz. Hoje 60% dos clientes da loja são brasileiros, que gastam em média US$ 2 mil, cerca de R$ 3,2 mil, por compra.

img.jpg
VANTAGEM
O casal Caetano e Valéria atravessa a fronteira para comprar seus artigos importados

Os preços paraguaios, mesmo os dos artigos mais caros, são realmente atraentes quando comparados com os praticados no Brasil. Um terno da grife Hugo Boss, por exemplo, custa no Brasil a partir de R$ 1,9 mil. Na S.A.X., ele sai por R$ 830, valor similar ao encontrado em Miami (leia quadro). A diferença entre o destino americano e o paraguaio fica no preço da passagem. Enquanto o trajeto São Paulo-Miami custa em média R$ 2,4 mil, a passagem aérea de São Paulo para Foz do Iguaçu sai por R$ 480. De ônibus, R$ 150. Para o casal de empresários Caetano Trentini e Valéria Costa, que mora em Foz, vale muito a pena. “Aqui, além dos preços serem excelentes, somos atendidos de forma atenciosa e podemos falar nossa própria língua”, diz Trentini. Os dois recorrem às lojas de luxo paraguaias sempre que precisam comprar um presente, uma roupa para uma festa ou mesmo um tênis. “Aqui tem tudo e é muito perto de Foz. A gente vem de carro com todo o conforto”, afirma Valéria. A proximidade e a variedade também motivaram a psicóloga Carine Dresch a sair de Cascavel, a 143 quilômetros de Ciudad del Este, para comprar seu vestido de noiva no Paraguai. Com casamento marcado para outubro, ela escolheu um modelo branco da Dior de R$ 15 mil. “Em Cascavel não há lojas vendendo essas marcas de luxo, então venho aqui com frequência”, diz.

Esse novo turista, que busca artigos de qualidade, variedade e preços melhores, mas sem abrir mão do conforto, está aos poucos mudando o perfil de Ciudad del Este. Em 2008 foi inaugurado o shopping Del Este, com lojas de marcas consagradas, como Nike e Pioneer, corredores amplos e iluminados. “Antes, os shoppings daqui eram apenas galerias escuras, voltadas para o consumidor de atacado”, conta Elva Figueredo, diretora administrativa do shopping Del Este. Atualmente, as 40 lojas e os dez quiosques do shopping recebem mais de 150 mil turistas por ano, 90% brasileiros que gastam entre US$ 300 (R$ 483) e US$ 500 (R$ 805) a cada visita. E o sucesso do empreendimento é tão grande que há uma lista de espera de lojistas interessados em alugar um espaço ali. “Já são 150 marcas querendo vir para cá”, conta Elva. Para atender à demanda, estão sendo construídos mais três shoppings na cidade. A S.A.X., por sua vez, planeja para 2012 a inauguração de mais sete andares, que totalizarão 17 mil metros quadrados de área. “Quando decidi abrir a primeira loja de departamentos de luxo no Paraguai, fui tachado de louco”, diz Nasser. Agora todos colhemos os frutos dessa evolução. Que o digam os felizes consumidores de luxo.

img1.jpg