Tecnologia & Meio ambiente

Energia salgada

Americanos anunciam a criação de usina que alia geração solar e térmica, capaz de criar eletricidade a partir do aquecimento do sal

Energia salgada

chamada.jpg
POTENCIAL
Ilustração revela detalhes do projeto criado por empresa americana

A inovação tem sido um dos principais motores das mentes dos cientistas desde que o mundo encarou o desafio de buscar fontes renováveis de energia. Mas, mesmo nesse universo de invenções cada vez mais surpreendentes, há quem ainda consiga se superar. Uma das mais novas candidatas à vedete da área combina a geração solar com a térmica – aquela em que o vapor d’água movimenta turbinas. Para que a receita chegasse ao ponto certo, a empresa americana Solar Reserve adicionou um ingrediente inusitado: o sal.

Os americanos devem inaugurar duas dessas instalações até 2012. A primeira será na cidade de Tonopah, no Estado de Nevada, e deve ficar pronta em setembro. A segunda, em Alcázar de San Juan, na Espanha, só começa a operar em meados do ano que vem. O acordo com o governo espanhol acaba de ser firmado. “Temos mais quatro projetos naquele país e começamos a negociar empreendimentos no Oriente Médio, norte e sul da África, Austrália, China e América Latina”, diz Kevin B. Smith, presidente da empresa.

A estrutura consiste basicamente em um campo de cinco km2 cheio de painéis solares, muito parecidos com os existentes hoje. A diferença é que a energia não será gerada diretamente pela radiação solar. As placas de vidro vão refletir a luz numa torre central dotada de um compartimento cheio de sal. O calor ultrapassará os 500°C, o suficiente para derreter o mineral que, depois, transformará em vapor a água de outro tanque. Por sua vez, este movimenta uma turbina, como a das usinas termoelétricas movidas a carvão.

Como o sal demora a se resfriar, ele pode continuar evaporando água – e gerando energia – mesmo em dias menos ensolarados ou durante a noite –, outra vantagem em relação aos painéis fotovoltaicos atuais. Segundo Smith, a unidade americana vai produzir mais kW/h do que a mesma quantidade de painéis solares tradicionais, que convertem a luz do Sol diretamente em eletricidade. E ainda mais energia do que as imundas usinas movidas a carvão. 

img.jpg