A semana

Toma-lá-dá-cá

Toma-lá-dá-cá

REGINA ECHEVERRIA, jornalista e escritora
ISTOÉ – Seu livro sobre José Sarney é uma biografia encomendada?
Regina – Encomendada não, é autorizada. Há cinco anos, fui convidada para fazer a biografia e topei. Eu não conhecia o ex-presidente Sarney.
ISTOÉ – Mas você tinha opinião negativa sobre ele. O que mudou?
Regina – Fui aos poucos conhecendo a pessoa do Sarney. Gostei dele. Hoje eu tenho respeito pelo homem culto que faz política na base da conversa, e não da truculência.
ISTOÉ – Ao ler os originais, Sarney fez muitas alterações?
Regina – Não, nenhuma. Não me pediu nada, nem para tirar nem para pôr. Se há alguma coisa errada no livro, a responsabilidade é minha.