Comportamento

Quanto mais nerd melhor

Grifes masculinas apostam em visuais certinhos como os dos garotos CDFs da primeira fila do colégio

No democrático e vasto mundo da moda, até os mais certinhos têm vez. Pelo menos é o que parecem mostrar algumas coleções masculinas apresentadas recentemente na Europa. Camisas para dentro da calça, gravatas fininhas, suspensórios, óculos de grau, boinas e cabelos superpenteados marcaram as passarelas da Dior Homme, em Paris, e da Marc, em Londres, grife masculina do estilista Marc Jacobs. Pairaria no ar uma certa tendência nerd? Exatamente. Uma referência ao look certinho dos CDFs do colégio, aqueles garotos estudiosos e quase sempre anti-sociais. Então, ao que tudo indica, eles não serão mais alvo de chacotas. Pelo contrário, a onda agora é quanto mais nerd melhor.

“Os modernos estão redescobrindo o tradicional”, explica o estilista Marcelo Sommer, um dos poucos brasileiros a mostrar a nova tendência nas passarelas do último São Paulo Fashion Week. “É um nerd reinventado, com modelos clássicos e padrões contemporâneos. Mistura a moda inglesa e a francesa, só que com atitude rock’n’roll. O típico clássico, sem ser careta”, conclui. O movimento, como acontece na maioria das tendências da moda, saiu das ruas e dos palcos para a passarela. Os garotos da banda americana Strokes – que se apresenta no Rio e em São Paulo esta semana –, Franz Ferdinand e Libertines, são exemplo e fonte de inspiração do novo modismo. A cada show aparecem com novas gravatas finas, ternos justos e camisas superabotoadas.

Outro ícone dessa nova onda é Pete Doherety, vocalista dos Babyshambles e namorado-problema da top model Kate Moss. Seu charme careta-rebelde (leia-se visual careta e atitude junkie) foi a fonte de inspiração do estilista Hedi Slimane, da Dior Homme. A última coleção da grife francesa partiu dos modos rock’n’roll do garoto que se tornou ícone pop na Inglaterra e apresentou silhuetas muito finas, combinações monocromáticas, calças altas, camisas abotoadas até o pescoço, gravatas curtas e suspensórios. Para completar o visual “fugi da primeira carteira da escola”, a maioria dos modelos desfilou com cortes e penteados de cabelo para lá de arrumadinhos. Uma coisa assim bem nerd…

“Esse novo CDF”, explica a consultora de moda Manu Carvalho, “é uma mistura de dois estilos: o preppy, moda dos anos 50, de cabelo arrumadinho com gel e roupa certinha, e o mod, eternizado pelos roqueiros londrinos dos anos 60, bem estilo Beatles”. Enquanto a moda reinventa os estilos, seria interessante que alguém avisasse os meninos certinhos e desenturmados que eles vivem o seu momento. Afinal, no mundinho fashion, tudo é passageiro.