Cultura

Luxo e erotismo

O fotógrafo escocês Albert Watson, que nasceu cego de um olho, reúne os seus melhores trabalhos dos últimos 40 anos em uma elegante e rara publicação

Luxo e erotismo

img6.jpg

img4.jpg
RETRATOS CÉLEBRES
Os atores John Travolta e Jack  Nicholson (acima) em ensaios
realizados na década de 1990

O nome do fotógrafo escocês Albert Watson, 69 anos, não é tão citado como o de David LaChapelle ou Annie Leibovitz. Mas as imagens que ele produz são igualmente icônicas e estampam capas de revistas como “Vogue”, “Rolling Stone” e “Interview”. Além da discrição, ele se difere dos colegas por uma particularidade: nasceu cego do olho direito. Isso não o impediu de se consagrar como um dos grandes mestres em sua área. Ao contrário, até contribuiu. A deficiência lhe concedeu um olhar especial: a sua visão mono-ocular o faz ver as coisas exatamente como as câmeras “enxergam”. Watson descobriu isso cedo, aos 14 anos, e essa empatia entre o fotógrafo e o seu instrumento de trabalho aconteceu como um amor ao primeiro clique. “Senti um grande conforto, era uma parte natural de mim. Soube ali que a fotografia seria a minha vida”, diz o artista, que se tornou uma das referências mais modernas, ousadas e inovadoras na forma de retratar celebridades, a nudez e o mundo da moda.

img3.jpg
IRREVERÊNCIA
A cantora Grace Jones com o ator Dolph Lundgren 

img.jpg
A modelo Omahyra
Mota: poses ousadas

Um balanço de suas quatro décadas de carreira surge agora no luxuoso livro “UFO: Unified Fashion Objectives” (Objetivos de Mo­da Unificados), da Editora Alles Trade. É uma publicação com mais de 400 páginas e centenas de fotos que investe nos contrastes e semelhanças entre imagens feitas em diferentes épocas. A irreverência é um de seus traços e o fez ser visto como um “enfant terrible fashion” neste mercado milionário e pouco afeito a revoluções visuais. Watson perdeu clientes tradicionais, que buscam leveza nas imagens, quando começou a criar enquadramentos muito densos e pouco convencionais. Mas com isso marcou o seu estilo. Sua aposta na diversidade de temas abriu caminhos novos, não lhe permitindo encastelar-se numa mesma especialidade. Ele dirigiu filmes publicitários, fez mais de 100 capas da revista “Vogue”, escreveu cinco livros e por suas lentes passaram personalidades como Alfred Hitchcock, David Bowie, Matt Dillon, John Travolta e Scarlett Johansson, alguns deles presentes no livro. Na produção das fotos, Watson inclui passos pouco usuais: utiliza pedaços de ossos, peles, morcegos secos, legumes e borboletas. Costuma também pintar, amarrar e até lambuzar de lama os modelos. Tudo o que distorça o real – ou provoque uma reação – interessa ao artista. E produz efeitos fantásticos.

img1.jpg
NUDEZ
Modelo anônima

img5.jpg
Rachel Williams

img2.jpg
Pamela Anderson