Artes Visuais

Ciborgue fashion

Mariko Mori

Ciborgue fashion

img.jpg
ARQUITETURA EMOCIONAL
Ondas cerebrais são interpretadas
em “Wave UFO”
 

Alguns críticos definem seu trabalho com o termo “surrealismo ciborgue”. Como você articula a tecnologia na sua obra?
A tecnologia é uma ferramenta: o modo como ela é usada é que faz a diferença. Meus trabalhos criam visões sobre como a tecnologia poderá conectar pessoas e interagir com a natureza no futuro. Está em nossa mente o controle dessa produção e nossa obrigação é usar a tecnologia para harmonizar diferentes esferas sociais.

Que relações há entre o conceito budista de unidade e o sentido de conectividade e convergência entre os meios de comunicação?
Sempre tive interesse pelas religiões japonesas, como o shintoísmo e o budismo, e também tenho feito um estudo comparativo entre as filosofias ocidentais e orientais. O conceito de unidade está presente na cultura asiática, mas também pode ser representado na religião cristã com a Sagrada Trindade. Realizei diversos estudos históricos em torno deste conceito e descobri que essa é uma ideia universal manifestada de diferentes maneiras. A noção de que as culturas humanas são diferentes umas das outras está sendo quebrada por essa presença das tecnologias de comunicação.

Sabemos que a arte sempre serviu de inspiração para a moda. Mas como a moda pode alimentar a criação artística?
A moda esteve em expansão nessas duas últimas décadas do ponto de vista industrial. Como indústria cultural, ela nunca esteve tão ativa. De maneira geral, é um tipo de mídia que também permite uma espécie de comunicação que tem um papel fundamental na cultura popular. Acho difícil determinar uma separação entre arte e moda. Ela atinge um público muito maior do que o produto artístico.

De que maneira seu passado de modelo fotográfico influencia sua performance e sua produção de autorretratos?
O trabalho artístico está intimamente ligado ao ato de criar imagens. Esse é o meu primeiro objetivo com as imagens que faço. Uma das coisas que aprendi ao trabalhar na indústria da moda foi a capacidade de comunicar ideias apenas por meio de imagens. E isso é o que busco no meu trabalho.

Como acontece o diálogo entre arte e indústria? Qual o nível de apoio que suas pesquisas recebem de empresas?
Essa relação não acontece mais apenas no nível da ajuda financeira. A produção de arte contemporânea na atualidade tem um modelo industrial, no sentido de que diferentes partes do trabalho são feitas por diferentes especialistas que agem em equipe com o artista. Isso é algo que acontece no meu trabalho. Atuo com cientistas, engenheiros e outros profissionais que não necessariamente são artistas, mas que me ajudam na execução de alguns processos artísticos. As obras são um esforço combinado entre diferentes partes.

Nina Gazire
 

img1.jpg
REALIDADE ARTIFICIAL
Cultura japonesa é comentada na fotografia “Empty dream”