Comportamento

A ciência da sedução – Parte 1

Uma avalanche de estudos do mundo inteiro tenta desvendar
os mistérios da atração e da conquista - e suas conclusões podem ser surpreendentes

A ciência da sedução – Parte 1

Assista ao vídeo em que Homens e mulheres contam à repórter Izadora Rodrigues o que os atrai na hora da conquista do sexo oposto:

IstoE_FalaPovo_255.jpg

 

img4.jpg
UNIDOS NA BELEZA
Pesquisas dizem que os belos se atraem:
como Rafael e Raquel, juntos há sete anos

 

Para qual parte do corpo da mulher o homem olha primeiro? Qual é o biótipo mais sexy? Que rosto beira a perfeição? As respostas dependem da pesquisa científica consultada. O meio acadêmico tem teses em profusão sobre o tema. Todos os meses, universidades do mundo inteiro despejam em revistas especializadas dezenas de trabalhos que tentam desvendar o intrincado processo da atração física. Ao longo das últimas duas décadas, o corpo humano foi destrinchado e analisado com todas as ferramentas existentes – da simples observação às tomografias mais avançadas –, com o intuito de entender como, quando e por que os pares se formam. Hoje, se estuda à minúcia o poder de um olhar, a influência de um perfume e até o simples caminhar. As conclusões são tão óbvias quanto inusitadas. Todas, no entanto, têm o mesmo objetivo: tentar desvendar os mistérios da sedução.

g_1.jpg

 

Recentemente, três universidades divulgaram estudos, no mínimo, curiosos. Um grupo da australiana Universidade de New South Wales, por exemplo, queria saber qual era o tipo de mulher mais atraente. Levaram a melhor as altas de braços longos. Para as desprovidas de estatura que acham que um salto dez centímetros seria a solução, mais um balde de água fria. Outra pesquisa, dessa vez britânica, garante que os homens nem sequer percebem quando uma mulher está com um deles. “Apesar de elas acharem que ficam mais altas e com o bumbum empinado, eles não notam muita diferença”, concluiu Nick Neave, psicólogo evolucionista da Universidade de Northumbria. O americano Paul Dobransky, psicólogo pop que é habitué de programas de tevê dos EUA, aconselha: esqueça a altura, os homens olham mesmo é para o cabelo. Afinal, madeixas saudáveis e brilhantes são um sinal de saúde e cuidado. E pesquisadores da Universidade de Rochester, em Nova York, Estados Unidos, garantem que mulheres de vermelho atraem mais olhares, uma vez que, no mundo animal, essa cor é sinal de fertilidade.

img1.jpg
CONTEÚDO
Para Larissa, inteligência e bom humor
são mais afrodisíacos que beleza

 

Divergências à parte, a grande maioria dos estudiosos do sex appeal concorda que ambos os sexos se voltam primeiro para o rosto. “Eu sempre soube que ele era bonitão, pois todas as mulheres o olhavam na faculdade”, conta a relações-públicas carioca Marcela Vasconcelos, 28 anos, sobre seu marido, o bancário Rodrigo Magalhães, 29. “Mas eu não ligava para ele porque achava que jamais olharia para mim.” Uma troca de olhares e um sorriso mudou o curso da história. “Eu me apaixonei no mesmo instante”, confessa. Depois do encantamento inicial, Marcela resolveu analisar com mais afinco seu objeto de desejo. Só nesse segundo momento reparou que ele também tinha um corpo bonito, em especial, o peitoral. Já para Rodrigo foi o conjunto da obra que chamou a atenção. “Uma morena linda, com olhos arrasadores e um belo cabelo, não tinha como não olhar.” Quando finalmente se conheceram, o bancário também a achou bem-humorada e inteligente.

É pensando no fascínio de um encontro como o de Rodrigo e Marcela que tantos cientistas suam seus jalecos. Afinal, como uma troca de olhares pode se transformar em um sólido casamento de nove anos e uma filha? O que os pesquisadores buscam entender é o que se passa no cérebro de uma pessoa quando ela olha ou é observada por alguém (leia quadro à pág. 79). Para ir mais fundo nos detalhes, cada grupo de estudo busca se especializar em uma parte específica do corpo. A Universidade de Aberdeen, na Escócia, por exemplo, tem um laboratório referência em rostos. A professora Lisa DeBruine e sua equipe passam dias analisando como uma fisionomia é percebida por homens e mulheres e quais as preferências de acordo com gênero, nacionalidade, idade e outras variáveis. O trabalho mais conhecido é o que define faces mais atraentes. Nas mulheres, contorno e queixo fino, somados a sobrancelhas arqueadas. Nos homens, face quadrada, queixo reto e sobrancelhas grossas, o famoso “rosto másculo”. Esse é o padrão geral. Lisa e sua equipe, no entanto, já detectaram preferências fora da curva. Nos países desenvolvidos, por exemplo, homens com fisionomia “feminina” fazem sucesso, pois as mulheres associam traços suaves com pessoas confiáveis e inteligentes.

img2.jpg
À PRIMEIRA VISTA
Uma troca de olhares e um sorriso selaram
o destino de Marcela e Rodrigo

 

PARTE 2