A semana

RÁPIDAS

 – Perto de eleger uma mulher para a Presidência, o Brasil ainda convive com um fosso entre os sexos no mercado de trabalho. Segundo estudo do Fórum Econômico Mundial, o País caiu para o 85º lugar entre 134 países e está entre os piores em termos de diferença salarial.
– O presidente da OABRJ, Wadih Damous, continua indignado com a indecisão do STF sobre a Lei da Ficha Limpa. Para ele, “o Supremo promoveu um apagão jurídico, gerando insegurança e confusão sem data marcada para terminar”.
– Os políticos que ponham suas barbas de molho. Durante a exibição do fi lme “Tropa de Elite 2”, quando o coronel Nascimento espanca um
deputado corrupto, a plateia aplaude e pede mais. A cena tem se repetido em todo o País. 
– Com os dois candidatos à Presidência apelando a Deus, vale lembrar uma máxima do filósofo do futebol Neném Prancha: “Se religião decidisse jogo, na Bahia toda partida terminaria empatada em 1 a 1”.